Frango com ora-pro-nobis é um prato típico da culinária mineira e muito apreciado no Festival de Sabará

Frango com ora-pro-nobis

Típico da culinária mineira, frango com ora-pro-nobis é um prato para comer rezando, literalmente. Ora-pro-nobis (expressão em latim) quer dizer orai por nós. Trata-se de uma planta da família dos cactus, cujas folhas  são ricas em proteína (25%) e em ferro, o que ajudam no tratamento das anemias, além de terem propriedades antiinflamatórias, cicatrizantes e regenerativas.

As folhas são ricas em proteína e em nutrientes

A receita tradicional de frango com ora-pro-nobis é feita com galinha caipira e é uma das estrelas do Festival do Ora-pro-Nobis, que se realiza anualmente na cidade mineira de Sabará. A receita não é complicada e, garanto, é muito saborosa. Apesar de as folhas terem um sabor delicado e suave, elas acentuam o sabor do prato.

Apesar de muitas receitas terem carnes como ingrediente, a planta dispensa esse tipo de acompanhamento, justamente por ter mais proteína que o frango e a carne bovina. Por isso,  é tão popular entre os veganos.

Existe uma enorme variedade de receitas. O ora-pro-nobis fica ótimo com frutos do mar, carnes, sucos, omeletes e saladas. As folhas podem ser consumidas cruas ou refogadas.  Secas e moídas podem ser usadas em muitas receitas. Refogados, tortas e sopas. E finalmente, é possível usar a farinha da planta no preparo de pães, massas e também para enriquecer diferentes tipos de farinhas, como a de arroz integral ou a de linhaça dourada.

As mudas são feitas por estaquia e crescem rápido

Reza a lenda que o nome tem origem nas cidades mineiras do Brasil colonial, onde as igrejas eram cercadas por esta planta, que os padres não deixavam colher. Então por ocasião da reza do ora-pro-nobis, uma oração muito longa, as mães mandavam os filhos apanharem as folhas para a refeição dizendo: “está na hora do ora-pro-nobis, colham as folhas depressa antes que a oração termine”.

A planta é mais comumente encontrada no Região Sudeste, mas pode ser cultivada em outras partes do Brasil. Pega “de galho” e cresce rápido depois do segundo mês.

Ingredientes

  • 4 sobrecoxas sem pele
  • 1 colher de sopa de páprica doce
  • 1 colher de sopa de alho triturado
  • sal a gosto
  • pimenta-do-reino a gosto
  • 3 tomates picados
  • 1/2 pimentão verde picado
  • vinagre balsâmico
  • 2 colheres de sopa de óleo para fritar
  • folhas de ora-pro-nobis (quantidade suficiente para cobrir a panela/frigideira)

Modo de fazer

Tempere de véspera as sobrecoxas com sal, alho triturado, pimenta-do-reino e vinagre balsâmico. O ideal é deixar no tempero de um dia para o outro. Se não for possível, deixe por, no, mínimo, meia hora.

Aqueça o azeite e frite as sobrecoxas até dourar dos dois lados. Retire o frango e descarte metade do óleo. Retorne as sobrecoxas à frigideira e acrescente a cebola. Refogue um pouco e adicione a páprica. Misture bem. Coloque o pimentão e, em seguida, os tomates. Refogue por um minuto e acrescente um pouco de água (não deve cobrir as sobrecoxas). Deixe levantar fervura, prove e corrija o sal. Quando começar a secar, repita a operação até que se complete a cocção da carne (leva em torno de 30 minutos).

Higienize bem as folhas do ora-pro-nobis. Corte grosseiramente com as mãos. Cubra as sobrecoxas com as folhas, mas não mexa, para evitar que elas soltem a baba (como no quiabo). Tampe a panela/frigideira e cozinhe por dois minutos.

O prato normalmente é servido com arroz e angu (polenta). Receita para 4 pessoas.

Compartilhe:
Eduardo de Azevedo

Nasceu em Porto Alegre, mas cresceu na cidade de Canela, na Serra Gaúcha. Formado em jornalismo pela Unisinos, em São Leopoldo/RS. Radicado em Pernambuco desde 1993