Quem somos

Minha primeira experiência com a cozinha foi aos 9 anos de idade, na cidade de Canela, no Rio Grande do Sul. Em 1968, fiz meu primeiro prato. Um completo desastre. Meus pais saíam para trabalhar e, dos quatro filhos, eu era o único que estudava no turno da tarde. Pela manhã, ficava em casa com uma senhora, que se encarregava da limpeza e de preparar o almoço da família. Foi numa dessas manhãs que me vi diante de um fogão, com a difícil missão de preparar arroz.

A senhora teve um chamado urgente e saiu (deveria ser algo relativo à família dela, não lembro bem, eu era muito pequeno). Ela me chamou na cozinha, mostrou as quantidades de arroz e de água para a finalização (de algo que nem tinha começado…) da iguaria. Sem perguntar absolutamente nada, concordei. Ela se foi e eu dei início à minha nova aventura.

Naquela manhã aprendi como não se faz arroz. Mas também foi aquele desastre (uma papa e sem sal, eca!) despertou minha paixão pela cozinha e a compulsão por acertar uma receita. Aquele arroz malfeito em 1968 me deixou mais curioso em relação às peculiaridades dos ingredientes e mais observador quanto ao modo de preparo dos pratos. E descobri, sobretudo, que cozinhar não era tão difícil.

Não me tornei um chef. Enveredei para o jornalismo e continuei testando sabores.
No ano de 2015, resolvi fazer uma espécie livro virtual de receitas. Criei uma página no Facebook: Cozinha do Gaúcho (@cozinhagaucho), onde comecei a publicar vídeos dinâmicos, autoexplicativos e de curta duração. A ideia era apresentar sugestões de pratos de fácil preparo, sem requintes e com ingredientes bem acessíveis. Basicamente isso. Só vídeos, sem textos.
Em 2016, a Cozinha do Gaúcho se expandiu e se transformou também em uma coluna virtual, publicada semanalmente no Portal NE10.

Agora estamos dando mais um importante passo. A Cozinha do Gaúcho fica mais completa ao assumir a versão de blog, com mais vídeos de receitas e dicas preciosas para os apaixonados pela culinária.